Home/ Destaques/ Compartilhar de Empreendedorismo Social e Acessibilidade Digital tema de pesquisa indita de estudantes franceses

Empreendedorismo Social e Acessibilidade Digital tema de pesquisa indita de estudantes franceses

Descrição da Imagem: Reunião no Instituto Mara Gabrilli, com estudantes da França e a equipe do Pr Trabalhador Agência de Notcias. Fim da DescriçãoPublicado: 05-6-16
Texto: Regina Ramalho
Foto: Edi Sousa Studio Artes 
 
Antes de conhecermos a histria da F123 e dos estudantes franceses. O Pr Trabalhador quer saber se vocês sabem o que “Empreendedorismo Social”?
Vamos ao conceito: Classifica-se por empreendedorismo social, empreendimentos pautados em “Responsabilidade Social” e que tem a pretensão de ganhar dinheiro, isso mesmo, obter lucro. Mas com responsabilidade e propondo ou apresentando soluções por intermdio de produtos e serviços que resolvem ou amenizam problemas da sociedade. 
 
Este ano essa uma das metas de nossa agência. Levantar e divulgar, histrias como as da F123 e deste modo contribuir para o surgimento de outras inciativas neste campo. 
 
Desde fevereiro (h quatro semanas no Brasil), os estudantes Raphael Sahagian, Victorien Tixier, Margot Brard e Axelle Lhermitt da universidade HEC em Paris, especializada em formar ‘lderes do amanhã’ em estudos de comercio, pesquisa, gestão e empreendedorismo, estão realizando um intercambio cultural e contribuindo para uma pesquisa com o pblico deficiente visual e cegos junto com a empresa brasileira “F123”, do socilogo Fernando Botelho.
 Descrição da imagem: Banner de divulgação F123. Fim da descrição
Botelho cego e junto com outros parceiros desenvolveu a “F123”, com objetivo de desenvolver software (F123 Access), que reformata os portais de mais interesse do pblico com deficiência visual, de maneira a facilitar acessibilidade digital tornando a navegabilidade mais prtica e fcil. 
 
“Trocando em midos’ o software funciona limpando todo tipo de barreiras que dificultam o leitor deficiente a chegar a informação de seu interesse. Atualmente a maior parte dos sites, incluindo os de rgãos pblicos, são como ruas e calçadas esburacadas, o que dificulta o acesso destes leitores a educação, serviços e at mesmo ao conhecimento de programações culturais, gastronômicas e comerciais. 
 
Os estudantes de Paris avaliam por intermdio de um questionrio (anônimo) com o tema: “Acessibilidade na internet para as pessoas cegas” que pode ser respondido online “clicando aqui” . O tempo estimado para ser preenchido de 5 minutos. O trabalho vai avaliar o “impacto social” da empresa F123 na vida de seus usurios, mas tambm funciona como uma semente para motivar que outras empresas venham a investir na acessibilidade para atrair e atender tambm estes consumidores. 
 
Para ter êxito a pesquisa deve ser respondida at o prximo domingo (dia 10) pelo maior nmero de pessoas (usurias ou não da F123). Por isso, o portal Pr Trabalhador Agência de Notcias, equipe e parceiros resolveram colaborar para o projeto e ajudar na divulgação.
 
Entramos com diversas instituições da cidade, e recebemos retornos e apoio de duas delas: Adeva que em breve os leitores conhecerão em outra reportagem e est divulgando o questionrio junto aos seus contatos e a equipe do Instituto Mara Grabrilli, que alm de divulgar para sua rede, recebeu nossa equipe e os estudantes, para um bate papo e suporte.
 
Primeiramente conversamos com a Magda Paiva, que assessora parlamentar e consultora. Cega, Magda conhece bem as barreiras que a deficiência visual traz inclusive na web.
“Faço um curso universitrio a distancia tambm como assessora, uso muito a internet, mas nem tudo que encontro na web est realmente acessvel para os deficientes visuais”, revela. Magda. 
 
Curiosidade: 
 
Descrição de Imagem: Magda Paiva assessora, consultora e cega orientando a reunião. Fim da DescriçãoPr Trabalhador: Alm do braile a tecnologia facilitou o acesso aos conhecimentos para os deficientes visuais?
Magda: Apreendi a ler em braille que a leitura por pontos em alto relevo, hoje não leio mais tanto em braille em razão dos custos e dos volumes serem grandes. Os livros digitais facilitam bastante, principalmente para as pessoas que não são cegos de nascença, mas acredito que o braille tambm fundamental, pois exercita e contribui para o raciocino, principalmente das crianças. 
 
Pr Trabalhador: Qual a melhor maneira de fazer uma descrição de imagem?
Magda: Não existem receitas, cada um vai preferir de uma maneira. Na dvida pergunte para o deficiente. Nos textos online procure descrever o que for mais relevante em detrimento do assunto abordado. 
A deputada Federal, Mara Gabrilli, mesmo com a agenda apertada, como sempre achou um tempo para conversar com nossa equipe e os estudantes. 
 
 
Descrição da Imagem: Mara Gabrilli explicando o artigo da LBI que trata da questão de acessibilidade na web e conversando com estudantes. Fim da Descrição
 
Pr Trabalhador: De que maneira o acesso web pode contribuir para inserção das pessoas com deficiência na sociedade e em especial no mercado de trabalho?
Ganhamos do instituto um exemplar da Lei Brasileira de Inclusão e a Deputada nos explicou: 
Mara: Muito! No Captulo II, artigo 63, j existe legislação que obriga acessibilidade nos stios da internet com representação comercial no pas ou por rgãos pblicos, seguindo as diretrizes de melhores prticas institucionais. 
 
Pr Trabalhador: O que falta para que de fato ocorra a acessibilidade?
 Mara: Para que acessibilidade ocorra necessrio o poder pblico incentivar  o uso das tecnologias assistiva e as empresas invistam na aquisição destes recursos. 
 
A entrevista com a Mara na integra você encontra em breve no nosso canal do You Tube.  Continue acompanhando nossas pautas e outras informações sobre a F123 podem ser solicitadas atravs do e-mail: info@f123.org