Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Mdia, mdia e ponto! 9

Mdia, mdia e ponto!

 
Regina Ramalho115
“Para quem acredita ter algo importante e relevante a comunicar a sociedade importante ressaltar que não existe esta conversa de veculo de comunicação de menor ou maior porte”, afirma a gestora de comunicação Regina Ramalho. 
 
 
Publicado: 07/07/15
Foto: Edi Sousa e Nalva Lima Studio Artes
Colunista: Regina Ramalho, jornalista, jurista, cerimonialista  e gestora de comunicação especializada em comunicação estratgica e construção de imagens. 
 
 
O ato de noticiar algo, deve ser, um processo democrtico e construdo ‘passo a passo’. Por isso, nesta e em todas outras etapas da comunicação o atendimento aos veculos de comunicação devem ser realizados de forma igualitria. Havendo preferência no atendimento apenas em ocasiões onde o profissional est para entrar ao vivo. Neste caso de bom senso que o colega jornalista que est para entrar ao vivo seja prestigiado.
 
Tanto nos processos de transmissão da informação como nos de construção de imagem, nenhum veculo de comunicação que venha a ter interesse sobre o assunto, pode ser desprezado ou tratado de forma diferente. Mesmo depois da informação, j ter conquistado espaço nos grandes rgãos de comunicação ou da imagem j estar formada perante a opinião pblica. 
 
A mesma recomendação de ‘poltica de bom atendimento’ vale para as solicitações de atendimento e pedido de envio de informações de profissionais e estudantes de varias reas. Lembre-se, o estudante de hoje, pode ser o colega ou profissional de destaque da rea amanhã. 
 
Para que vocês possam acompanhar o meu raciocnio desta semana vou contar de forma resumida um pouco da minha experiência como assessora de comunicação.
 
H mais de 15 anos, quando iniciei o trabalho de comunicação e divulgação do Centro de Solidariedade ao Trabalhador da Força Sindical, o assunto “trabalho” era pauta apenas nos Classificados de Domingo ou em uma coluna que circulava as quartas-feiras, chamada: Dirio Sindical.
 
O processo de convencer as grandes instituições de comunicação a tratarem diariamente do assunto “oportunidade de trabalho”, por intermdio de concessões de espaços gratuitos e a divulgação de matrias que tornou o CST conhecido inclusive fora do pas como: “O maior e melhor centro pblico de emprego da Amrica Latina”, contou em sua fase inicial principalmente com o apoio dos chamados veculos de comunicação de menor porte. 
 
Na poca o atual jornal O Concursos & Empregos, por exemplo, era apenas “Concursos” e foi um dos primeiros jornais impressos a concederem espaço gratuito para falar de trabalho com uma riqueza de informações, que foi fundamental para fazer com que as pessoas comparecem ao CST em semanas onde contavam com um maior nmero de ofertas de trabalho dentro de seu perfil. 
 
O Jornal Concursos circulava semanalmente e seu espaço foi vital para orientar e distribuir a demanda de mais de 10mil pessoas dia, para dias e semanas onde o cidadão possua mais chance de obter trabalho. 
 
O segundo veculo impresso a tratar a informação sobre trabalho de forma mais completa foram os jornais: Dirio de São Paulo (na poca ainda Dirio Popular) e o extinto Jornal da Tarde. Estes dois passaram a abrir espaço inclusive durante a semana para divulgação das chamadas: “Agendas das Salas de Seleção”. 
 
Desta forma a comunicação sobre trabalho que era naquela poca reservada apenas para os Classificados de Domingo e erroneamente empurrava um grande nmero de pessoas a buscar trabalho todas juntas, s segundas-feiras e causava uma triste cena de filas e mais filas aos entornos do posto de atendimento, foi se modificando. 
 
A medida que imprensa impressa foi abrindo oportunidade de tratar do assunto diariamente, as matrias e notas explicativas sobre as seleções do CST passaram a educar as pessoas, atravs da informação que: “Todos os dias eram dias de procurar trabalho”, mas que era melhor deixar para ir at um posto, em um dia ou semana com o maior nmero de ofertas dentro de sua categoria de atuação. 
 
A poltica do bom atendimento a imprensa impressa, de manter sempre as portas abertas e o dilogo com todos os veculos de comunicação, inclusive com os profissionais ainda estudantes foi o que contribuiu para o fato de chegarmos a atender cerca de 60 veculos dia (de grandes, mdio ou de pequeno porte), nenhum veculo era desprezado. 
 
Tambm acho importante, destacar que em 16 anos de atuação dentro do mundo do trabalho, muitos dos estudantes de ontem, que buscaram informações e atendimento nas instituições por onde passei, são hoje colegas de destaque, nos mais renomados veculos de comunicação. 
 
Por isso, fica aqui a dica desta semana: “Mdia, mdia e ponto!” e “Estudante hoje, colega e profissional de destaque amanhã”. 
 
At a prxima semana.
 
Site: www.anigercomunicacao.com.br 
11-4328-9551