Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Coletiva de imprensa x exclusiva 17

Coletiva de imprensa x exclusiva

Regina Ramalho103
 
 
As coletivas de imprensa um valioso instrumento, muito utilizado em momentos de crise ou em grandes eventos, nos quais o assdio da imprensa muito grande. Ela tambm pode acontecer por intermdio de convite de rgãos pblicos, ONGs ou iniciativa privada quando existe algo relevante para anunciar a sociedade (saiba mais). 
 
Publicado: 08/15
Foto: Edi Sousa e Nalva Lima Studio Artes
Colunista: Regina Ramalho, jornalista, jurista, cerimonialista e gestora especializada em comunicação estratgica e construção de imagens.
 
A coletiva de imprensa um valioso instrumento, muito utilizado em momentos de crise ou em grandes eventos, nos quais o assdio da imprensa muito grande. Ela tambm pode acontecer por intermdio de convite de rgãos pblicos, ONGs ou iniciativa privada quando existe algo relevante para anunciar a sociedade. 
Neste caso o instrumento serve para facilitar o trabalho de jornalistas e fontes, organizando e tornando mais gil as informações, pois as perguntas são praticamente as mesmas e o volume de profissionais interessados no assunto pode ser grande.  
Para atrair a mdia o convite feito por intermdio de “Aviso de Pauta” e ligações para os departamentos de pauta e produção dos veculos de comunicação. Para gerar o interesse, dos jornalistas e tambm para que ocorra a liberação da ‘chefia’ necessrio que o assunto a ser comunicado seja de relevância e interesse para a população. 
 
 
Um bom exemplo de assunto que gera interesse dos consumidores: o anncio da fusão de duas marcas conhecidas. 
 
Aqui vai uma dica para quem deseja alcançar mais credibilidade e prestgio para sua organização ou assessorado: 
 
Quando um jornalista insistir em que seja concedida uma entrevista exclusiva (antes ou depois da coletiva). Mesmo que exista uma logstica organizada para resposta em coletiva. importante considerar que este pedido se deve em razão da linha editorial do veculo ou tambm pelo fato, do mesmo ter se dedicado ao estudo e apuração na construção da reportagem.
Pensemos juntos! justo o profissional se dedicar no preparo da entrevista, estudar, pesquisar, achar diferenciais e depois ser obrigado a fazer as perguntas em coletivas que possibilitam que todos peguem carona no seu trabalho?  
 
Alm disso, muitas vezes conceder uma entrevista exclusiva, pode ser a oportunidade de esclarecer melhor o fato e levar outras informações mais amplas e claras sobre o tema em questão.
 
Entrevista exclusiva, bem apurada e trabalhada, pode ser uma forte aliada, mesmo em tempos de crise. Tal como a que estamos vivendo em relação ao alastramento dos casos de pessoas vtimas da transmissão da Dengue. 
 
O esclarecimento sobre os sintomas e as formas de prevenções da situação pode contribuir para acabar com os criadouros dos mosquitos, que não escolhe cor, gênero ou classe social para picar e pode at mesmo levar a morte. 
 
Quando for necessrio, a autoridade falar sobre o fato do dia e esta não quiser se pronunciar, importante lembrar que ela est dentro de seu direito. 
Isso : “A pessoa mesmo sendo autoridade tem o direito de não falar com a imprensa!”. 
 
Por outro lado tambm vale esclarecer que ainda assim o jornalista tem o dever de perguntar. ‘Perguntar não ofensa!’, lembra o dito popular.  Perguntar o instrumento de trabalho do jornalismo. 
 
Aqui tambm vale outra dica. Caso não queira falar, informe ao profissional que prefere não se manifestar sobre esse assunto. 
 
S não vale dizer que vai ao banheiro e retorna j para dar a entrevista. Pois desta forma corre o serio risco de sair de l e ter um jornalista persistente, plantado esperando para fazer a matria, acompanhado de fotgrafo ou cinegrafista e depois ter sua imagem publicada em uma foto com um banheiro ao fundo como cenrio.
Situação nada agradvel ou elegante. Não ? 
 
At a prxima coluna!
 
Outras informações:
 www.anigercomunicacao.com.br
11-4328-9551