Plano B

Na coluna desta semana o professor Wanderley Jr explica por intermdio de um caso real a importância de se ter sempre na manga o chamando ‘Plano B’ principalmente em perodos que antecede as sazonalidades, tais como Dias das Mães, Dia dos Namorados, entre outras (confira a coluna na ntegra).
Colunista- professor Wanderley Rodrigues Junior
 
Wanderley 2016Publicado 15-05/14
Fotos- Edi Souza 
 
Como eu adoro as datas comemorativas. Principalmente aquelas em que temos a oportunidade de sair com a famlia e observar a qualidade dos serviços ofertados. E nesse ltimo Dia das Mães não poderia ter sido diferente.
 
Acredito que essa data seja uma das mais esperadas pelo comrcio em geral, talvez perdendo apenas para o Natal. Portanto h de se esperar que os empreendedores estejam preparados para atender demanda, certo? Infelizmente a prtica não corresponde teoria.
 
Evidentemente que a tecnologia uma ferramenta de ajuda muito til para dinamizar os negcios nestes dias em que h um expressivo aumento de pblico. Mas e se essa mesma tecnologia decidir falhar? Você, empreendedor, est preparado com um plano B?
 
Se o sistema que administra o caixa do restaurante ficar “off-line” o jeito seria fech-lo em pleno horrio de almoço de Dia das Mães? A resposta mais que bvia, mas foi exatamente o oposto que me deixou perplexo: o gerente solicitou a um funcionrio que ficasse na porta (a esta altura j fechada) informando a quem chegasse que o restaurante estava fechado por falta de sistema. Surpreso? Pois eu achei bizarro!
 
O sistema de pagamento de cartões estava operante. O nico (suposto) problema era no sistema do prprio restaurante que havia cado, ou seja, o que o garçom marcasse no seu aparelho eletrônico de anotações não era repassado “on-line” nem para a cozinha muito menos para o caixa. 
 
Em nenhum momento, em todos estes anos de funcionamento em um dos pontos mais movimentados da região central de São Paulo, passou pela cabeça da gerência que isso poderia acontecer algum dia e que ela deveria ter um plano B para não interromper o funcionamento do restaurante? 
 
Ser que esta mesma gerência nunca ouviu falar em papel e caneta e contato e comunicação entre funcionrios e setores? 
Achou mais fcil fechar o estabelecimento? Despreparo total e evidente, concorda?
 
Como era o atendimento na dcada de 60, quando houve a inauguração do estabelecimento? Eletronicamente com certeza não era! 
 
Então por que não poderiam voltar as anotações caneta em bloquinhos de papel circunstancialmente? E em apenas alguns passos o garçom passaria o pedido cozinha e uma cpia enviada ao caixa. Pronto! Eis um plano B funcional em prtica!
 
Não faça parte do time dos despreparados e desprevenidos: olhe, analise, faça as devidas previsões em seu empreendimento e deixe não s as mamães mais felizes e satisfeitas!