Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Olhar, perceber e trabalhar 28

Olhar, perceber e trabalhar

Na coluna do professor Wanderley Jr, desta semana um convite para sair da zona de conforto e fazer uma tentativa de seu negcio com ‘os olhos dos clientes’, s vezes mesmo quando tudo parece bem, pode ficar ainda melhor (confira). 
 
 
Wanderley 2016Publicado- 31/07/14
Colunista- Wanderley Rodrigues Junior
Foto- Edi Souza. 
 
Empreender não s se dedicar ao bom gerenciamento da sua loja, na administração de funcionrios e balanços de ganhos e perdas, mas sim estar ciente das necessidades contnuas de seus clientes e em aplicar doses de criatividade sempre que possvel.
 
Existem muitos empresrios que acham que o sucesso de seus negcios seja apenas manter o livro-caixa estabilizado. Algo muito estvel, no sentido de não haver altos e baixos, situação de homogenuidade total, pode tambm ser indcio do começo de uma queda. Fique alerta!
 
Qualquer falha pode se tornar o marco para uma consequência desastrosa e um perodo de estiagem, seja com a parte material (produtos, estoque, validade, compras, vendas, etc.) seja com a parte humana (satisfação de funcionrios, motivação, qualidade de atendimento, postura, etc.). Por isso mesmo, muitas vezes, o empreendedor deve largar a sua postura de dono do negcio e incorporar o cliente do negcio. 
 
Chegue ao seu estabelecimento, escritrio, escola, instituição, enfim, ao lugar onde você agora entrar com os olhos de cliente. Corra-os por tudo e tente perceber os detalhes, principalmente os que faltam. 
 
Veja, como cliente, o que lhe traria mais satisfação: um corredor apertado com prateleiras cheias ou uma decoração simples mas que deixasse a sua visita mais agradvel e lhe despertasse a vontade de voltar? Sentiu a necessidade de algum produto e ele não est disponvel? Pôde sentir a simpatia e a motivação de seus colaboradores quando entrou? Foi de maneira natural ou ficou evidenciado o artificialismo do bom-grado forçado se fosse um primeiro contato?
 
A limpeza est condizente? Olhe de cima at embaixo. Notou a pintura das paredes, manchas no teto, tenebrosas teias de aranha sem ser poca de “halloween”?
 
Existem simples lojinhas de doces que aumentaram as suas vendas s por deixarem os clientes badalarem um sino que foi instalado na porta ou no caixa. Ou ainda aqueles que notaram o crescimento do movimento do empreendimento aps a simples troca de cor da tinta das paredes ou que trocaram de lugar o balcão de atendimento. 
 
Aparentemente estava tudo bem, mas notaram que poderiam incrementar. Mas s puderam notar quando se deixaram ‘ver com os olhos de clientes’ e não com os olhos de quem empresaria.
 
Saia j da zona de conforto! Faça de sua situação atual o motor de arranque para a fbrica de ideias e de inovação que existe dentro de você!