Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Perder, recuperar ou manter? (1 parte) 43

Perder, recuperar ou manter? (1 parte)

Empreendedor- Perder, recuperar ou manter, qual a sua escolha? Na edição desta, professor Wanderley Rodrigues Junior, traz nmeros e sugestões simples que podem auxiliar você a manter sua clientela e evitar problemas com o PROCON (Confira).  
 
Wanderley 2016Publicado-19-02/15
Colunista-Wanderley Rodrigues Junior, bacharel em Letras, tradutor e intrprete, coordenou a Academia de Micro-finanças do Banco São Paulo Confia, realizou cerca de 27 mil capacitações em empreendedorismo, micro-finanças e marketing pessoal. Atualmente ministra palestras sobre empreendedorismo, marketing Pessoal e lngua portuguesa para concursos pblicos.
Foto- Edi Souza e Nalva Lima
 
Nada de se impressionar quando se sabe que o maior ndice de reclamações do PROCON advm de mal-atendimento.
De nada adianta oferecer mil e uma variedades de produtos e serviços, com muita qualidade, se ainda se deixa fermentar um atendimento deficiente. 
 
Um cliente insatisfeito com o atendimento de um funcionrio não se lembrar do nome do colaborador para espalhar a problemtica em que se envolvera, mas o nome do estabelecimento. 
 
Pesquisas sustentam que mais fcil um cliente sair reclamando para mais de dez pessoas do que aquele que bem atendido e sai falando positivamente para, no mximo, três pessoas.
E mais: de 100% de um mal-atendimento, 90% omitem as suas opiniões a respeito da insatisfação. Mas por quê?
 
Aproximadamente 40% acreditam que, mesmo reclamando, não serão atendidos. E, com certeza, os descrentes nunca mais voltarão ao estabelecimento e nem o indicarão.
30% são temerosos por sofrerem algum tipo de represlia e, por quererem evitar qualquer tipo de confusão ou imbudos por algum grau de medo, nunca mais voltam a consumir no mesmo local.
 
J 10% restantes insatisfeitos não têm nenhuma orientação sobre a quem se dirigir ou como proceder para oficializar a reclamação.
 
Existem ainda 5% que, movidos pelo sentimento de mgoa oriunda da insatisfação, simplesmente, acham mais fcil não entrarem mais na loja. E outros 5% simplesmente não se importam com o ocorrido, mas cortam o nome do comrcio de sua lista de assuntos discutidos entre amigos.
 
De mesmo grau preocupativo, não se deve subestimar os 10% dos reclamantes que sobram, pois estes seguirão com algum tipo de providência, seja via administrativa, SAC, mover ação de cunho particular ou via PROCON.
 
Uma nica prerrogativa certa para que não se chegue a qualquer uma das percentagens, ou seja, unicamente h de se fazer necessrio atentar-se a três fatores determinantes para quem procura minimizar ou eliminar a situação do mal-atendimento: 
- Conhecimento;
- Habilidade;
- Atitude.
 
E, antes que o caro leitor reclame, aviso que desenvolveremos estes pontos, item a item, em nossa prxima conversa, pois são merecedores de uma atenção especial para este espaço j tomado por hoje.
 
At l!