Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Reclamar e agir 76

Reclamar e agir

Na coluna de empreendedorismo desta semana o professor Wanderley Rodrigue Junior convida os leitores a uma mudança de paradigmas. “Que tal buscar novas ideias e soluções?”.

Publicado: 16/10/15

Colunista: Wanderley Rodrigues Junior, bacharel em Letras,  Tradutor e Intrprete, coordenou a Academia de  Microfinanças do Banco São Paulo Confia, realizou cerca de 27 mil capacitações em empreendedorismo,  microfinanças e marketing pessoal. Atualmente realiza palestras sobre empreendedorismo e marketing  pessoal e ministra  Lngua Portuguesa para candidatos a concursos pblicos.

Foto: Edi Souza e Nalva Lima

 

Quem nunca reclamou de algo ou algum que atire a primeira pedra! Com certeza você poderia listar mil e uma razões para poder reclamar, mas, paralelamente a isso, você j pensou tambm em montar uma lista de soluções e novas ideias?

A reclamação, na maioria das vezes, vem por um sentimento de frustração, de uma necessidade não atendida, de uma empatia não funcional. E, neste sentido, lembre-se de que você não e nunca ser o nico reclamão na rea. Seus colaboradores tambm reclamam... at de você, empreendedor.

Wanderley 2016Às vezes, a reclamação serve-nos apenas como uma simples vlvula de escape para desabafar em resposta a algum outro desapontamento passado. Uma maneira de compensar uma frustração reprimida, uma negação autoavaliação ou o não querer assumir um erro cometido.

E, perante quaisquer que sejam as condições em que você se encontre, vai assumir apenas esta posição de quem reclama ou est a fim de encontrar um meio, uma resposta sua situação? Você j se permitiu parar para pensar qual o seu real propsito junto s suas reclamações? Seria apenas um construir de muros para tentar se evitarem outras frustrações ou um meio em se ganhar a atenção alheia para que a sua posição de coitado, de vtima e de carência de atenção se firmem? Percebe que em nenhum dos dois casos h algo de bom?

O empreendedor um forte: não tem tempo para brincar de esconde-esconde atrs dos problemas nem ficar esperando que algum lhe estenda a mão. A sua prpria iniciativa a solução!

No lugar de reclamar por que não se senta para refletir sobre a existência de uma gama de outras possibilidades de ação para suprir as suas necessidades?

Quem sustenta um esprito empreendedor prova a sua audcia em mostrar que pode sair da bolha em que se recolheu. Repare que a pessoa que reclama de tudo e de todos não vê as possibilidades, mesmo aquelas mais evidentes sua frente, est preso sua prpria condição de negatividade e de desmotivação.

E qual o preço que você est disposto a pagar para que se coloquem essas possibilidades em prtica? Sim, porque reclamar sai barato demais, confortvel, não d trabalho, a ajuda provavelmente vir logo de um ombro amigo a quem se recorre para que o fardo, que seu, possa ser transferido.

Enfrentar os riscos do fracasso, fazer sacrifcios, assumir a culpa, voltar a planejar, acordar cedo e dormir tarde, não ter mais finais de semana nem frias, talvez sejam condições muito sofredoras para quem prefere ficar onde j est e, o pior, regredir. Ou vamos a partir de agora contar com uma nova mentalidade, uma nova atitude em se tirar vantagem deste pseudossofrimento e fazer disso tudo uma aprendizagem para o seu crescimento pessoal e profissional?

A reclamação em si pode ser interpretada como uma recusa ao enfrentamento da realidade em que se vive, demonstra e deixa claro aos outros a sua incapacidade em se tomar uma iniciativa, de enfrentar problemas e seguir em frente. Em uma equipe forte não pode haver um lder que reclame, mas que demonstre força em tomar inciativas e que acolha sugestões e novas ideias. Ningum melhor para determinar a sua prpria condição do que você mesmo.

Comece analisando a sua prpria reclamação, pois, se ela apareceu em algum momento, um forte sinal de que as suas necessidades não estão sendo atendidas e você est se deixando afundar em suas frustrações.

 

Ser que j não hora de parar de reclamar e tentar encontrar as  melhores escolhas com quem entende do assunto? Você?!