Home/ Editorias/ Empreendedorismo/ Compromisso ou responsabilidade 79

Compromisso ou responsabilidade

Esta semana professor Wanderley Rodrigues Junior ressalta a importância de conscientizar os empreendedores que necessrio cumprir exatamente o que se oferece aos clientes.

 

Publicado: 04-12-15

Colunista: Wanderley Rodrigues Junior, bacharel em Letras, tradutor e intrprete, coordenou a Academia de Micro-finanças do Banco São Paulo Confia, realizou cerca de 27 mil capacitações em empreendedorismo, micro-finanças e marketing pessoal. Atualmente ministra palestras sobre empreendedorismo, marketing Pessoal e lngua portuguesa para concursos pblicos.

Foto-Edi Souza e Nalva Lima

 

Ambos! A partir do momento em que se veste a roupagem do empreendedor e, assim se pretende seguir ao rumo do sucesso, o comprometimento, em não s oferecer mas cumprir o que se oferta, de extrema responsabilidade.

Na mesma proporcionalidade, fica-lhe depositado o peso da responsabilidade que não h como ser compartilhada ou delegada. O erro, caso venha a surgir, ser lembrado pelo cliente final como um todo, ou seja, o nome do empreendimento que estar em jogo e não o de uma pessoa ou outra.

Wanderley 2016Quando um produto ou serviço proposto e ou vendido, h de se ter um prazo concreto e pr-determinado ao seu cumprimento. Pode não parecer em primeira vista, mas algo entregue desrespeitando prazos uma nuvem de negatividade que pairar sobre a sua origem por muito tempo. E para desanuviar esta situação, o esforço para trazer de volta bons ventos e dissip-la ser resultado de um trabalho mais rduo do que se planejava inicialmente.

Em certa oportunidade, eu ouvi uma verdade: mais fcil encontrarmos um cliente que fale mal por um serviço mal prestado do que aquele que ficou satisfeito. O cliente insatisfeito, embudo pela sua ira e procura pelo sabor da vingança, vai distribuir aos quatro cantos do mundo o quanto ficou insatisfeito com fulano e beltrano. Como os seus ouvintes não conhecem a realidade de ambos os lados envolvidos, mas apenas conhecem o reclamante pela sua amizade e aproximação, dão quilo como certo e verdadeiro. Da, mesmo nunca tendo tido contato direto com a marca, aquele que apenas ouvira a reclamação, quando vir ou ouvir a tal marca se lembrar que em algum momento não teve alguma referência boa e deixar de consumir aquilo que at lhe seria satisfatrio e conveniente.

Por que o cliente que ficou satisfeito não ajuda a divulgar o bom atendimento que teve na mesma proporção daquele que reclama? Porque ele simplesmente est em uma rea de conforto, ou seja, para que fazer alarde de algo quando se est satisfeito e tranquilo? Por outro lado, se pensarmos bem, esta atitude chega a ser um erro tambm, pois, divulgando o quão bom foi o atendimento, estaramos ajudando a manter a qualidade do serviço ou produto a outras pessoas da mesma forma que fomos atendidos e que queiramos continuar a ser ao voltarmos a procur-lo.

Portanto, não adianta expor uma prateleira com produtos finos e requintados, da ltima moda e bem-acabados se não houver o comprometimento com os prazos.

Estou exemplificando aqui um caso de atividade comercial, mas não se esqueça de que somos a todo o momento empreendedores na nossa vida, que vendemos a todo o momento nossa imagem. Portanto, agregue em seu rol de qualidades o item compromisso com responsabilidade. Uma atitude tão abstrata, mas que pode lhe trazer decorrências bem concretas.

Outras informações: 

http://portuguesfacilparaconcursos.blogspot.com.br/2015/10/interpetacao-de-textos-cespe-treino.html

Obs: O Pr Trabalhador não se responsabiliza por serviços contratados e prestados diretamente por seus colunistas.  Apenas por palestras, treinamentos e oficinas contratadas diretamente com o comercial@protrabalhador.com.br, nestes casos feito contrato prprio e apresentação de nota fiscal do Pr Trabalhador. Atenciosamente, Direção do Pr Trabalhador.