Home/ Editorias/ Diversidade/ A incluso no mercado de trabalho: quem so os deficientes?

A inclusão no mercado de trabalho: quem são os deficientes?

 
Descrição de imagem: Vinicius Schaerfer, esta com uma camisa polo branca, e usa um relgio com sua mão no queixo, esta sorrindo e olhando para cima. Fim da descrição de imagem.
O colunista Vinicius Schaerfer, fala esta semana sobre inclusão no mercado de trabalho e questiona: nas relações profissionais “Quem são os deficientes?”. Serão os trabalhadores ou as empresas? Confira o trabalho de Vinicius, tambm em udio e vdeo em Libras no canal do Pr Trabalhador, Youtube e Facebook.
 
Publicado: 17/6/15
Foto: Edi Sousa e Nalva Lima Studio Artes
Colunista: Vinicius Schaefer fundador da Viva Acessibilidade, Administração Geral e Ps-graduado em LIBRAS, atualmente cursa Licenciatura em Matemtica. Trabalhou em banco durante alguns anos no setor administrativo, foi professor de Libras em diversas universidades em São Paulo.
 
Sabemos que o primeiro emprego para um jovem sem experiência e muito difcil, ao mesmo tempo as empresas dão a oportunidade ao jovem aprendiz, dificultam exigindo a experiência anterior. Para o surdo a dificuldade ainda maior, sobretudo pela falta da comunicação oral. 
Comigo não foi diferente e aos dezessete anos iniciei em uma empresa de publicidade prxima de minha casa, permaneci alguns meses, estudava pela manhã e tarde ia para o escritrio, recebia um ajuda de custo e l tambm pude vivenciar o preconceito e a pouca vontade das pessoas em ensinar o serviço, comecei a ver que as coisas para mim não seriam tão fceis assim e tambm teria que conviver com o descaso de algumas pessoas que ainda acham que ser deficiente ser “coitadinho” esquecem que todos têm condições de igualdade e direitos. 
Hoje o mercado de trabalho est mais acessvel, devido lei das cotas, porm falta tolerância e conhecimento por parte das pessoas sobre as diferenças.
Meu segundo emprego foi na rea da sade, como digitador, j estava na faculdade e assim conseguia pagar os meus estudos, com a bolsa parcial da faculdade. 
Nesta empresa vivi alguns constrangimentos, não me davam atenção e não me deixavam a par dos acontecimentos, fiquei muito triste por algumas vezes e conclui que o melhor era sair em busca de outra empresa. 
Antes da minha demissão, eu e a minha mãe fomos conversar com o RH, sobre a poltica da empresa e seu despreparo com a inclusão, deixando bem claro a minha insatisfação. 
Conclui o meu curso superior e trabalhava em uma instituição bancaria de grande porte, com os mesmos problemas das empresas anteriores, onde as pessoas e o RH não estavam preparados para incluir de fato o funcionrio com deficiência. Com isso pensei quem são os deficientes? 
Ns que temos alguma restrição sensorial ou motora, ou as empresas que não conseguem ver o que preciso para incluir as pessoas? 
Aps alguns anos decidi mudar de rea. Fiz Pôs– Graduação em Libras e me tornei professor, atualmente curso licenciatura em Matemtica. 
Utilizei a minha prpria experiência como funcionrio na questão da discriminação e a falta de comunicação, para tentar mudar a realidade de outras pessoas com deficiência atravs do ensino da Libras nas empresas, universidades , RH, bancos, instituições, etc.  E decidi abrir uma empresa para mostrar que a pessoa com deficiência capaz e pode alcançar os seus sonhos. 
Confira o trabalho de Vinicius, tambm em udio e vdeo em Libras no canal do Pr Trabalhador, Youtube e Facebook.
 
Outras informações:
Tel: 011-31150360
email: sosprevidenciario@uol.com.br
 
 
Obs: O Pr Trabalhador não se responsabiliza por serviços contratados e prestados diretamente por seus colunistas.  Apenas por palestras, treinamentos e oficinas contratadas diretamente com o comercial@protrabalhador.com.br, nestes casos feito contrato prprio e apresentação de nota fiscal do Pr Trabalhador. Atenciosamente, Direção do Pr Trabalhador.