Home/ Editorias/ Sindical/ Fundada a UGT So Paulo

Fundada a UGT São Paulo

Descrição de imagem: Foto Luiz Carlos Motta, presidente da Fecomercirios,  eleito por unanimidade como presidente da UGT, h quantro homens de mãos dadas para cima em comemoração a eleição. Fim da descrição de imagem
 
Momento Histrico - Luiz Carlos Motta, presidente da Fecomercirios, eleito por unanimidade como presidente da UGT- Estadual São Paulo. Congressitas repdiam a flexibilização dos contratos de trabalho e discutem as recem paralizações dos transportes, sem a anuência do movimento sindical (confira a matria na integra). 

Publicado- 23/05/14
Fonte- Assessoria de Imprensa UGT
Texto-Da redação do Pr Trabalhador
Fotos- Edi Sousa. 
 
Nesta sexta-feira, dia 23 de maio, foi fundada a União Geral dos Trabalhadores (UGT-SP), em congresso que contou com cerca de 650 participantes (dados UGT) e foi inteiramente traduzido por interprete de “Libras”. 
 
At o ltimo minuto da realização do Congresso de Fundação, ainda tinha sindicato, apresentando a carta de filiação. A mesa dos trabalhos encabeçada pelo presidente da UGT Brasil, Ricardo Patah e os secretrios de organização e polticas sindicais, Chiquinho Pereira e secretrio geral, Canind Pegado, iniciou com 250 sindicatos filiados e antes da conclusão dos trabalhos, j foi anunciada a marca de 266 sindicatos ingressados. 
 
Segundo a Central, o grupo representa aproximadamente 40 categorias, entre elas comercirios, limpeza, padaria e transporte.

Dados do nascimento- 
O processo de nascimento e multiplicação UGT começou de baixo para cima, primeiro com a implantação de coordenadorias em oito regiões, iniciadas pela região Nordeste do pas, onde existia uma carência e dificuldade de organização sindical. Para s então vir para São Paulo. 
Descrição de imagem: Foto da vitação dos Congressistas, todos erguem seus crachs em forma de confirmar o voto. Fim da descrição de imagem
 
Atualmente em todo Brasil a base da UGT, representa 8,6 milhões, destes 2,6 milhões s em São Paulo.
 
Descrição de imagem: Foto de Chiquinho Pereira, usa uma blusa social azul, e esta com um microfone na mão discursando. Fim da descrição de imagem
 
 
O Congresso teve dois pontos altos. O secretrio de organização e polticas, Chiquinho Pereira, aproveitou a oportunidade para fazer referência ao recente episdio de paralização de ônibus, sem a anuência do Sindicato dos Motoristas de São Paulo. 
 
“Estão querendo desmoralizar o sindicalismo Brasileiro, e ns não podemos permitir isso”, afirma. “Hoje foram eles amanhã pode ser ns”, alertou.
 
Outro ponto de destaque foi o discurso do presidente da UGT-SP, Luiz Carlos Motta. Descrição de imagem: Foto do Presidente da UGT-SP, Luiz Carlos Motta, que usa uma blusa azul, e esta segurando um microfone. Fim da descrição de imagem
 
“Sa da segunda maior Central sindical e ingressamos no que caminha para ser a segunda maior Central do pas. Mas importante que esse crescimento tambm se reflita no Congresso Nacional”, disse. 
 
Quanto a categoria dos comercirios, o presidente, Motta, aproveitou os congressistas, para fazer o que os sindicalista chamam de ‘moção de repdio’, isto , apresentar a contrariedade da categoria, intenção dos empresrios varejistas de flexibilizar os contratos de trabalho e permitir a contratação a ttulos precrios. A proposta foi aprovada por unanimidade pelos congressistas.
 
Descrição de imagem: O presidente da UGT Brasil, Ricardo Patah, que veste uma blusa azul escuro com listras branca, esta dando entrevista. Fim da descrição de imagemExclusiva- 
O presidente da UGT Brasil, Ricardo Patah, falou em exclusividade com a equipe de jornalismo do Pr Trabalhador. 
 
Pr Trabalhador- O evento de hoje superou as expectativas da UGT?
Patah- 23 de maio, foi um dia muito importante, pois nasceu a UGT-SP, que esperamos sete anos para consolidar e ns estamos nascendo com 300 sindicatos, quase o mesmo nmero de sindicatos de quando nasceu a UGT Nacional, h sete anos, conta. 
 
Pr Trabalhador- Qual a proposta para São Paulo?
Patah- São Paulo tem um corpo significante, que vai ter uma capacidade para articulação de polticas pblicas muito grande. Temos na presidência o Motta que tambm presidente do Fecomercirios. Costumo dizer que ns somos como “Os miserveis” do livro de Victor Hugo. Unidos com as bandeiras esfarrapadas, mas todas elas com sentimentos e coração para superar as adversidades que das nossas categorias. Tais como: informalidade e precariedade, que infelizmente ainda têm. São Paulo nasce com esse sentimento de crescimento e de agregar e buscar alternativas para valorização de trabalhadores e trabalhadoras do estado de São Paulo. 
 
Pr Trabalhador- Qual o principal diferencial da nova Central?
Patah- Ns nos diferenciamos de outras centrais porque quando nascemos buscamos formular polticas que vão alm das relações de capital e trabalho, como a maior parte do movimento sindical que buscam apenas melhorias de salrios e benefcios. A UGT tem um conceito que extrapola estas questões. Buscamos ativar a sociedade para termos os trabalhadores com todos os direitos como cidadão. Sade, educação, meio ambiente, diversidade e todas as ações onde existe discriminação ou não tem igualdade de oportunidade, a UGT esta apresentando sua força de esprito que est contagiando muitos dirigentes sindicais a filiar-se a UGT. 
 
Pr Trabalhador- Qual a bandeira poltica partidria da UGT?
Patah- A UGT pluripartidria. Temos cinco deputados Federais cada um de um partido, temos três estaduais, tambm cada um de um partido. Com certeza nas eleições prximas vamos ter sucesso e mais deputados Federais e estaduais, porque entendemos que na poltica partidria que muitas das questões sindicais encontram respaldo. 
 
Pr Trabalhador- O movimento sindical est mudando?
Patah- Se não tiver, vai ter que mudar. Temos o Ministrio Pblico fazendo prtica sindical em alguns sindicatos, impedindo at a cobrança do assistencial, por isso, ns temos que estar muito unidos, fazendo um trabalho importante para sociedade. A imprensa muitas vezes ns coloca em uma situação muito ruim, então ns temos que evoluir e tenho certeza que essa forma que UGT trabalha, buscando alternativas para a cidadania do trabalhador, vai fazer com que haja uma compreensão da sociedade da importância do movimento sindical e todas as Centrais de todos os sindicatos. 
  
Outras informações- 
http://www.ugt.org.br/