Home/ Editorias/ Diversidade/ Projeto social qualifica mulheres vitimas de violencia domestica para atuarem no ramo de hotelaria

Projeto social qualifica mulheres vtimas de violência domstica para atuarem no ramo de hotelaria

“Falta de creches e atual modelo educacional impedem mulheres de trabalhar”, denuncia assistente social da Apaf.
 
Texto: Regina Ramalho
Revisão: Claudia Dias
Fotos: (1) Divulgação Apaf e (2) Aniger Comunicação 
 
Do dia 10, at o dia 17 de fevereiro, a Associação Paulista de Apoio Famlia (Apaf) est com inscrições abertas para capacitação profissional no segmento de hotelaria. A ONG desde 2007 qualifica mulheres carentes nas funções de camareira, auxiliar de cozinha e de limpeza e tambm nos cargos de passadeiras e auxiliares de lavanderia.
 
O curso possui certificação e carga horria de 200 horas, o equivalente a dois meses e 10 dias, sendo 4 horas de aulas dirias. Inclui, alm da parte terica, vivências prticas nas redes de hotis e lavanderias parceiras da Apaf. Aps a formatura, as alunas que se destacam são contratadas pelas redes parceiras.
 
Segundo assistente social da Apaf, Sueli Alves Viana, a maior parte das alunas nunca trabalharam com registro em carteira, sem contar as que são vtimas do abandono, depressão e violência domstica. Por isso, a instituição tambm oferece atendimento psicolgico e jurdico gratuito.
 
Lucilene Mandu de Oliveira, 48 anos, sofria de depressão “Quando voltei dos Estados Unidos para o Brasil com minha famlia, mesmo falando outro idioma, não conseguia emprego e entrei em depressão, at que uma prima me falou do curso”, conta Lucilene. “Aps fazer o curso e receber todo apoio do pessoal da Apaf, consegui um emprego em um hotel e j estou l ha oito meses e feliz com possibilidades de crescer na carreira”, afirma.
 
Faltam creches e atividades para ocupar as crianças
 
Outra grande dificuldade o fato de muitas delas não terem com quem deixar seus filhos. “Alm da falta de vaga em creches para crianças de 0 a 3 anos, as mulheres gostariam de poder contar com atividades dirigidas no que chamamos de “ps-aula” para deixarem  seus filhos, com idades entre 4 a 16 anos, em segurança enquanto trabalham”, explica Sueli.
 
A jovem mãe Tawane Alexandre Gomes, 18 anos, se formou em 2013. “Fui levada para fazer o curso na Apaf por minha mãe que j tinha feito e trabalha na rea h dois anos”, diz. “Estou gostando muito, uma rea muito promissora, mas minha maior dificuldade ter com quem deixar minha filha de três anos, pois os horrios são por escala. Muitas vezes trabalhamos nos finais de semana e feriados e, infelizmente, a creche s funciona de segunda a sexta, das 7h s 17h, o que me leva a ter que pedir a ajuda do pai ou at de minhas irmãs menores”, reclama Tawane.
 
Para mãe de Tawane, dona Joseline Alexandre Gomes, não muito diferente. “Alm de Tawane, tenho os gêmeos com 13 anos e outro de 12 anos. Eles estudam uma parte do dia, mas depois estão entregues prpria vontade”, desabafa. “Gostaria que na escola existissem outras atividades ps-aula para deix-los em segurança enquanto trabalho”, reivindica a camareira Joseline.
 
O outro lado
 
Josiane Magalhães encarregada de governança de uma grande rede de hotis. “J trabalho neste ramo faz tempo. A rea muito boa, pois permite que façamos um plano de carreira, mas em razão dos trabalhos em horrios diferenciados, finais de semana e feriados, muitas mulheres desistem da vaga, mesmo gostando, por não terem onde deixar seus filhos”, explica.
 
“Eu mesma tenho dois filhos pequenos. Alm de ter que pagar por uma creche, ainda tem os gastos com transporte e com uma pessoa para ficar com eles enquanto não chego”, afirma.  
 
 
Inscrições
 
Perfil- Para participar do curso, necessrio ter no mnimo 18 anos, ensino fundamental, estar desempregada h no mnimo quatro meses, não estar recebendo o seguro-desemprego e ter renda per capita familiar de meio salrio mnimo.
 
A interessada deve apresentar no ato de inscrição na sede da Apaf -  rua Avanhandava, 485, Centro - das 9h s 15h, cpias do RG, CPF, comprovante de residência e das pginas de identificação e cpia do ltimo registro da Carteira Profissional, caso j tenha trabalhado registrada. 
 
 
    
Como ajudar a Apaf
 
Quer contribuir com a Apaf? No caso de donos de estabelecimentos comerciais s deixar disponvel junto aos caixas, uma urna da Apaf para que seus clientes possam depositar o cupom fiscal.
 
A mesma corrente do bem tambm pode ser feita em empresas como forma de incentivar os funcionrios a contribuir para uma ação social, depositando suas notas pessoais, sem identificar o CPF.
 
Os crditos de ICMS dos cupões serão revertidos em projetos de atendimento criança e a capacitação de mulheres carentes.
 
Outras informações acesse o site www.apafsp.org.br